Notícias

Em Palmas representantes do GEF, CI-Brasil e Seagro discutem produção sustentável no Matopiba

10/03/2020 - Raquel Oliveira / Governo do Tocantins

O projeto Parceria para o Bom Desenvolvimento na região do Matopiba, que visa reduzir o desmatamento na fronteira agrícola e promover a produção sustentável de soja na região foi pauta de reunião realizada nesta terça-feira, 10, na sede da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Aquicultura (Seagro). A Conservação Internacional (CI-Brasil) é a responsável pela implementação do projeto financiado pelo Fundo Global para o Meio Ambiente (GEF).

 “Estamos apresentando um projeto ao GEF para liberação de 30 milhões de dólares, a fundo perdido, para ser aplicado no Matopiba. A conversa inicial desse projeto se deu quando da nossa ida ao Peru e lá conhecemos Gustavo Fonseca, um brasileiro que reside nos EUA e hoje Diretor de Programas do GEF e que veio ao Tocantins para nos dar o sinal verde para prosseguirmos com o projeto”, explicou o secretário César Halum.

 “Os avanços do projeto nas propriedades rurais tocantinenses são bastante auspiciosos e o comprometimento do governo tocantinense, secretário e técnicos da Seagro são ingredientes necessários para que uma agricultura mais moderna, competitiva e sustentável possa ocorrer de fato”, detalhou o vice-presidente do CI-Brasil, Maurício  Bianco.

“Além de debater e conhecer as oportunidade encontradas na implementação do projeto Parceria para o Bom Desenvolvimento, representantes do GEF e CI-Brasil conheceram outras iniciativas desenvolvidas pelo governo tocantinense que aliam produção e sustentabilidade e que podem ser multiplicadas em outras regiões”, explicou o secretário e representante do grupo de secretários de Agricultura do Matopiba, César Halum, que após a reunião também acompanhou a comitiva ao Centro Agrotecnologico de Palmas.

O projeto

Iniciado em 2017 e com o prazo de conclusão para março de 2021, o Parceria para o Bom Desenvolvimento na região do Matopiba conta com investimentos na ordem de R$ 22 milhões e desenvolve projetos pilotos demonstrativos em dois polos prioritários na Bahia e Tocantins. Na prática, em solo tocantinense, 20 produtores rurais estão recebendo suporte técnico em tecnologia de agricultura de baixo carbono, aumentando a produtividade sempre  aliada a sustentabilidade.

O objetivo é desenvolver um sistema para ajudar o produtor a adotar boas práticas agrícolas e de manejo sustentável da propriedade, incluindo restauração da vegetação nativa. A região também deve ser mapeada, ajudando a definir as áreas destinadas à expansão da produção ou conservação.

O projeto brasileiro foi escolhido entre diversas outras iniciativas que priorizam a criação de modelos de negócio sustentáveis pelo mundo. Além do Brasil, o GEF também investirá em projetos de sustentabilidade na Libéria e Indonésia, com recursos destinados para pesquisas com óleo de palma, e no Paraguai, em incentivo à pecuária.

Também participaram da reunião os especialistas em Meio Ambiente do GEF, Paul Hartman e Mohamed Bakar, o diretor de programas do GEF Gustavo Fonseca, o assessor do PNUD, Haroldo Machado, a Avaliadora PNUD, Alida Spadafora, a Gerente de produção sustentável (CI-Brasil), a Coordenadora de projetos (CI-Brasil), Iamilly Cunha. Pela Seagro, participaram o secretário-executivo Adenieux  Santana e os diretores José Américo, Corombert Leão e Fernando Garcia.