Câmaras Setoriais

Câmara Setorial da Ovinocaprinocultura

Cadeia da ovinocaprinocultura no Tocantins

Com um rebanho ovino de mais de 18 milhões de cabeças e um rebanho caprino de 9 milhões , segundo dados do IBGE 2017, o Brasil tem uma longa tradição na produção a princípio de lã e leite e mais recentemente de carne. As regiões Nordeste e sul se destacam pelo rebanho ovino enquanto os caprinos se concentram na região nordeste do país.

Em grande parte são pequenas propriedades com a presença de pequenos rebanhos que trabalham com mão de obra familiar e em sua grande maioria a criação de ovinos e caprinos é feita em conjunto com bovinos de corte e leiteiros, em sistemas de baixa intensificação e com pouco uso de tecnologia.

O abate e a comercialização são feitos de maneira informal o que prejudica enormemente o desenvolvimento da cadeia produtiva.

O Estado do Tocantins tem 13.852.070 hectares (ha) aptos para a produção agropecuária, o que corresponde à cerca 50% do seu território, parte desta área está ocupada hoje com aproximadamente 7.500.000 ha de pastagens e 1,06 milhões ha com produção agrícola, restando 5.361.350 ha a serem explorados.

O Tocantins atualmente possui um rebanho de 135 mil cabeças de ovinos, crescendo acima da média brasileira, o rebanho cresceu mais de 100% entre 2005 e 2015 e 24 mil de caprinos, rebanho caprino praticamente estabilizado, com crescimento de 9% no mesmo período, espalhados pelo estado e criados nas mesmas condições dos rebanhos do país.

A criação de pequenos animais, especificamente de ovinos e caprinos é uma oportunidade para o Estado, já que apresenta resultado econômico em pequenas áreas, permite a integração com outras atividades rurais, é ambientalmente correta e socialmente justa.

A diversificação da produção é uma necessidade atual diante da conjuntura agrária brasileira. A integração entre as atividades rurais contribui de forma significativa para a sustentabilidade dos sistemas produtivos, bem como possibilita a geração de renda escalonada, contribuindo para a fixação das famílias de economia de base familiar, a redução do êxodo rural e da pobreza no campo.

A criação de ovinos e caprinos agrega elementos essenciais, como exemplo, o envolvimento dos membros da família na condução e manejo do sistema. No entanto para ampliar seu desenvolvimento, é necessária a perspectiva de crescimento de rebanhos aliado à formalização de abate, a padronização de produto de acordo com a exigência do mercado e a comercialização obedecendo às normas sanitárias vigentes.

O Tocantins tem investido cada vez mais em eficiência e competitividade em setores com forte potencial de crescimento, especialmente o agronegócio e a agroindústria.

O agronegócio tocantinense caminha para a sustentabilidade, focado na melhoria da produtividade por meio da inovação tecnológica sistemática e da inclusão social das comunidades rurais, já que seu bom desempenho pode contribuir significativamente para garantir a melhoria na distribuição de renda e na redução da pobreza. Sendo um setor estratégico para o Estado, deverá ter um olhar focado do Governo de maneira a ser cada vez mais representativo na economia tocantinense contribuindo mais expressivamente com o PIB do Estado.

Neste link o produtor vai saber um pouco sobre a cadeia produtiva da Ovinocaprinocultura. Tem levantamento atualizado do rebanho, produção, consumo, comércio exterior, quantidade de criadores e analisa a cadeia produtiva, os ambientes organizacional e institucional e o sistema agroindustrial da carne ovino do Estado, entre outros assuntos. Traz também uma proposta de ações para o sistema agroindustrial da ovinocaprinocultura no Tocantins. A pesquisa foi realizada em 2017.

Erika Jardim

Diretora de Políticas para a Pecuária - SEAGRO

Arquivo(s)