Notícias

Agricultura realiza ações em apoio à produção de tilápia em tanques-rede no Tocantins

04/09/2017 - Eliane Tenório – Governo do Tocantins

Com proposta apoiar ao desenvolvimento da piscicultura no Tocantins, O Governo do Tocantins, por meio da Secretaria do Desenvolvimento da Agricultura e Pecuária (Seagro), participou na manhã desta segunda-feira, 04, de uma reunião com a Câmara Conselho Estadual do Meio Ambiente (Coema). O encontro aconteceu na Secretaria do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semarh) para elaborar a minuta do processo de licenciamento ambiental para produção de tilápia no sistema de tanques-rede.

O gerente de Pesca da Seagro, Thiago Tardivo, relatou um histórico das ações que estão sendo realizadas em prol do licenciamento da atividade no Tocantins. O gerente conta que desde a votação do Coema para liberação da produção de tilápia em tanques-rede no Estado, no último mês de junho, formou-se um grupo gestor para tratar do assunto. No mês passado, técnicos da Seagro, Semarh e Naturatins foram a São Paulo (SP), em visita técnica ao Instituto de Pesca, instituição experiente na criação de tilápia no Brasil, com o objetivo de celebrar um Acordo de Cooperação Técnica, entre Semarh e Secretaria da Agricultura do estado de São Paulo. “O Acordo é para apoio na elaboração do documento no intuito de liberar a atividade, como também para monitoramento e capacitação dos envolvidos no processo de informações gerais”.

Ainda de acordo com Thiago Tardivo, outra reunião para dar continuidade ao processo de licenciamento ficou marcada para acontecer no próximo dia 15. E a documentação está prevista para ser finalizada até o mês de outubro.

Apoio à atividade

Segundo Thiago Tardivo, o Governo do Tocantins, por meio da Seagro, apoia a criação de tilápia em tanques-rede nos reservatórios do Tocantins, observando as normas que garantem a produção sem riscos para o meio ambiente.

Thiago Tardivo enumerou algumas dessas normas que podem assegurar a produção sem afetar a natureza, como a aquisição dos alevinos em laboratórios idôneos e que realizam protocolo de reversão sexual de forma correta, ou seja, a garantia de que acima de 98% dos alevinos são do sexo masculino. Outras normas são a produção dos peixes em sistemas fechados, para que a água não retorne para a natureza eliminando assim o perigo de escape; o uso de telas específicas nos tanques e monitoramento destas; seguir as Boas Práticas no Manejo (BPM); fazer relatórios de produção e produtividade; informar as quantidades de ração utilizada e de animais pescados, e também para onde foram fornecidos os produtos, entre outras.  

Vantagens

Para o gerente, a viabilidade na produção de tilápia é grande e oferecem vantagens como: já existe o conhecimento em produção de alevinos; o processo de melhoramento genético; os índices são bem produtivos; há aproveitamento dos subprodutos, a exemplo da pele do peixe que é usada para diversos fins, inclusive medicinais, entre outros. “A criação de tilápia já é estudada no Brasil inteiro, a margem de lucro é pré-conhecida e tudo o que o produtor produz o mercado compra”, afirmou o diretor. “Além disso, vai trazer novos empresários para o Estado, viabilizar a cadeia produtiva, melhorar as fábricas de ração, trazendo mais profissionais e o desenvolvimento dos parques aquícolas do estado”, argumentou.      

 

Compartilhe esta notícia