Aquicultura e Pesca

Aquicultura e Pesca

 

Aquicultura

A prática da piscicultura no Tocantins é favorecida pela grande disponibilidade de recursos naturais, fundamentais ao seu desenvolvimento. Seria inimaginável não destacar a excelente qualidade e a grande quantidade de recursos hídricos disponíveis no estado, bases para uma adequada criação de peixes.

Outros fatores que merecem ser evidenciados são a predominância de relevo plano e bem distribuído pelo território e a temperatura alta durante todo o ano, tão importante para o crescimento constante dos peixes tropicais.

Demanda

Se associarmos, a estes fatores naturais, o crescimento mundial por consumo de carnes brancas, a estabilização das capturas de pescados nos rios e mares, o crescimento da população e da renda no mundo, estaremos diante de uma atividade que tem um gigantesco potencial para continuar crescendo e de um dos estados mais aptos para receber investimentos no setor.

Espécies

No Estado do Tocantins as espécies produzidas são as nativas com destaque para o tambaqui, caranha, piabanha, piau, cachara e o pirarucu. Essas espécies têm boa aceitação no mercado, são versáteis no preparo de pratos, tem um bom valor comercial e grande aptidão zootécnica.

Cenário

Juntos, a iniciativa privada forte e atuante e governos que contribuem com o crescimento da atividade, tem promovido o desenvolvimento da cadeia produtiva aquícola no Estado. Prova disso, é a atuação vigorosa de 4 frigoríficos com serviço de inspeção federal que processam e exportam pescado, a presença de 10 produtores de alevinos que além de suprir o mercado interno abastecem outros estados com as vendas de alevinos e larvas, a participação dos mais de 1.000 aquicultores e a existência dos 5 parques aquícolas licenciados e aptos para a criação de peixes em tanque-rede.

Potencial

Dotado de excelente localização geográfica e de uma infraestrutura já implantada, o Tocantins possui diversas áreas aptas à implantação de viveiros e açudes. Além disso, estão em estudo e ou em instalação, grandes represamentos que favorecem a criação de peixes em tanque-rede. Os números desse potencial superam as 900 mil toneladas de pescado/ano e poderão girar valores superiores a R$ 4 bilhões de reais/ano.