Agroenergia

Departamento de Agroenergia

Em 2011, o Governo do Estado do Tocantins criou o Setor de Agroenergia, com objetivo de estruturar e incentivar a produção agroenergética no Estado, a partir do conhecimento e sistematização de informações, o apoio a pesquisa, a capacitação de técnicos e produtores, a difusão de tecnologias, a desburocratização de processos ambientais, apoio creditícios e a estruturação de polos de produção.

Estudando as vocações regionais e a partir de parcerias estratégicas foram priorizados três programas: Incentivo a florestas plantadas, Incentivo a produção de biocombustíveis e Biomassa e Resíduos Energéticos.

Florestas Plantadas:

O Tocantins possui um grande potencial para o plantio de florestas, principalmente eucalipto e seringueira. O setor vem se estruturando e nos últimos 2 anos tivemos conquistas como a aprovação de decreto de lei com objetivo desburocratizar a autorização de plantios de florestas no Estado, articulação para  criação do PRONAF ECOSERINGUEIRA para agricultura familiar, e a capacitação de técnicos e produtores.

Em 2 anos,  o estado teve um acréscimo de 60 % na área plantada com floresta e a meta é atingir 156.074 hectares de florestas implantadas no estado até final de 2015, apresentando um crescimento de 160% em relação a 2010 (60.000 hectares).

Biocombustíveis:

Outra área com grande interesse é o de biocombustível, na produção e etanol e biodiesel. O Estado foi incluso no Programa Nacional de Polos de Produção de Biodiesel, possibilitando o acesso a recursos para o fomento da produção de oleaginosa no Estado, foi realizado a Revitalização do projeto de pesquisa de dendê, aproximação entre indústria e produtores a partir de realização de seminários e dias de campo.

Neste período o estado apresentou um acréscimo de 25% da área plantada com Cana-de-açúcar e 20% de oleaginosas do programa biocombustível social. A meta é ter atingir 36.000 hectares de cana-de-açúcar até 2015 e 12.500 de oleaginosas plantadas pela agricultura familiar através do programa selo combustível social.

Biomassa e resíduos energéticos:

Aproveitar resíduos da agropecuária ou mesmo produzir biomassa para geração de energia é uma oportunidade de novos negócios no estado, possibilitando a melhoria da competitividade de empresas e empreendimentos rurais. Neste aspecto foi elaborado um plano de ação para divulgação destas tecnologias para os anos de 2013 a 2015, com parcerias estratégicas com empresas e órgãos representativos do setor produtivo. A meta do programa até 2015 é implantar 1.000 hectares de  biomassa para substituição energética e aproveitamento de 20.000 toneladas de resíduos para geração de energia.